Clínica Higashi

Londrina | PR : 43 3323-8744
Rio de Janeiro | RJ : 21 3439-8999

Notícias

11/4/2014 O que é bloqueio para o tratamento da dor ?
O bloqueio terapêutico é útil para vários síndromes dolorosas, tais como: câncer lombalgia, neuralgia do trigêmeo, síndrome complexa de dor regional e síndrome miofascial.
O bloqueio provoca interrrupção  da via nociceptiva e pode  e ser usado para diagnóstico, prevenção e tratamento das síndromes dolorosas  crônicas. Em revisão de diversos tipos de bloqueio em pelo menos 38%  dos pacientes foi obtido 50% de alivio e em 34%, alívio satisfatório sendo considerado útil no tratamento da dor crônica em clínica de dor.

O tratamento com técnica de bloqueio da dor é muito eficaz para o alívio da dor aguda com melhor efeito analgésico e menos efeitos colaterais .

Atualmente, o bloqueio não é utilizado com frequência para diagnóstico, pois existem meios adequados para isso, além do desenvolvimento de tecnologia sofisticada. Em algumas  situações podem ser útil ,por exemplo ,o bloqueio do ramo medial ,antes da lesão por radiofrequência para dor mecânica dorsal de origem na articulação facetária. A injeção por via peridural é empregada como teste para colocação de cateter  subaracnoideo  para infusão de morfina.
        
O bloqueio terapêutico é útil para vários síndromes dolorosas, tais como: câncer  lombalgia, neuralgia do trigêmeo, síndrome complexa  de dor regional e síndrome miofascial. Diferentes  bloqueios somáticos e simpáticos podem ser utilizados  para tratamentos de dores aguda e crônica.

bloqueio nervoso simpa´tico.jpg

Os bloqueios devem ser utilizados para  tratamento de determinada síndrome dolorosa como:

•    Oferecer alivio da dor de  uma região anatômica ;
•    Paciente que não consegue manter outras modalidades ;
•    Diagnóstico ou prognóstico para bloqueio neurolítico;
•    Teste Terapêutico ;
•    Completar no controle da dor ;
•    Terapia alternativa quando a sistêmica for ineficaz.


O bloqueio pode ser feito em nervo, músculo,  ligamento, tendão, espaço peridural, subaracnoideo  e cavidade articular. As substância injetadas para bloqueio incluem: anestésico local, corticosteroide opióide, clonidina, antiinflamátorio, guanetidina, cetamina, calcitonina, ácido hialurônico, fenol e álcool.

Os neurolíticos são agentes químicos e térmicos que interrompem a via neural .Os agentes químicos mas usados são álcool e o fenol. Os métodos físicos para bloqueio neural são a criolesão e a termocoagulação por radiofrequência .A criolesão produz destruição reversível  do axônio ,mas pode causar desistência. O bloqueio com neurolítico em geral é indicado para dor localizada em paciente com expectativa de sobrevida de curta duração. A regenaração de nervo periférico pode ser acompanhada de desenvolvimento de neurite ou neuroma. O fenol é um agente neurolítico incolor, pouco solúvel em água, instável á temperatura ambiente e na concentração de 5%,  Equipotente  ao álcool a 40%. O fenol causa destruição não seletiva de todas as fibras nervosas motoras e sensitivas por desnaturação protéica; provoca ação bifásica e inicialmente causa efeito anestésico local, com calor e parestesia ,seguidos de desnervação crônica, além disso ,pode haver alteração  da qualidade e extenção da analgesia  em 24h. Esse neurolítico pode ser usado para bloqueio peridural, para-vertebral, de nervo periférico, subracnóideo, de nervo craniano e de gânglio estrelado .O fenol tem efeito anestésico local e neurolítico sendo indolor á injeção .Causa toxidade hepática e cardíaca em doses maiores ,seguida de depressão do sistema nervoso  central e colapso cardiovascular .

O álcool é solúvel em água ,estável e hipobàrico em relação  ao liquido cefalorraquidiano.  Também não é seletivo na destruição de fibras e a incidência de neurite que provoca é alta, sendo indicado para o bloqueio do plexo celíaco, em que a necessidade de grande volume torna  inviável o emprego do fenol .Pode causar desconforto intenso,porém transitório .geralmente é usado a 100% e provoca desidratação de tecido neural,com extração de colesterol ,fosfolipídio e cerebrosídeo  e precipitação de mucoproteínas ,resultando em esclerose de fibras nervosas e destruição de mielina .A desnervação e o alivio da dor podem ocorre após alguns dias. O álcool pode ser usado para bloqueio subaracnoideo e peridural, de plexo celíaco, de cadeia simpática  lombar, de nervo craniano  e para vertebral .

A variação anatômico pode ter implicação para realização de bloqueio e interpretaçaõ do bloqueio diagnóstico .A distribuição da raiz nervosa ao forame intervertebral é anômala em cerca de 8% dos indivíduos.

As falhas do bloqueio no alivio da dor podem acontecer por:
•    Variabilidade genética de resposta ao bloquio;
•    Seleçaõ inapropiada  do bloqueio ;
•    medicamento ou dose inadequada ;
•    variação anatômica

TÉCNICA COM BLOQUEIO SIMPÁTICO

O bloqueio simpático pode diminuir ou eliminar a dor crônica por:
•    Bloquear as fibras aferentes nociceptivas  viscerais ;
•    Bloquear as fibras eferentes simpáticas , interação entre nocicepção e sistema nervoso simpático .
•    promover vasodilatação.

Como  os gânglios simpáticos estão separados dos nervos somáticos (exceto na região torácica ),é possível conseguir bloqueio seletivo  sem afetar a função sensitiva ou motora. O bloqueio simpático pode ser feito por meio de técnicas percutâneas (gânglio, nervo periférico, peridural, cadeia simpática e plexo ), venosa sistêmica (fentolamina ), venosa regional (fentolamina, guanetidina, e reserpina ), oral (prazozim,fenoxibenzamina  e clonidina ) ou cirúrgica, a escolha do bloqueio depende do estado físico do paciente, da intensidade e duração da síndrome e facilidade do médico .

AirwayPicture9.jpg


Muitas são as indicações para o bloqueio simpático, tais como síndrome complexa de dor regional,  herpes –zoster , neuralgia pós –herpética , membro fantasma , pós acidente vascular  encefálico, pancreatite crônica e câncer de vísceras abdominais .

O bloqueio simpático terapêutico  é muito indicado para síndrome complexa de dor regional como para os  tratamentos  de uma forma geral e também para neuralgia pós-herpéticas, o bloqueio precoce  é mais eficaz.

O bloqueio simpático  pode ser feito para confirmar se a dor é dependente  do sistema simpático , que é mantida  por inervação.  eferente ou ação de catecolaminas. Algumas vezes pode ocorrer falso-positivo quando  o anestésico  local difunde para o nervo somático ou espaço peridural. O falso-negativo pode ocorre com bloqueio  incorreto ou por falha do mecanismo da dor.

Muitos  pacientes obtêm benefícios considerável com bloqueio. Entretanto, o resultado do bloqueio somático ou simpático a longa prazo é pode ser relativo de pessoa para pessoa, muitas vezes os bloqueios  são realizados com anestésico locais e a duração analgésica é muito maior que a do agente utilizado , podendo ser permanente. Porém, o mais importante é a analgesia temporária para facilitar  a fisioterapia e reabilitação .

O bloqueio pode quebrar o circulo vicioso da dor .Outra possibilidade é a reversão da sensibilização central  com analgesia  prolongada . Ao considerar o uso de bloqueio neural para tratamento de dor crônica  oncológica e não –oncológica deve, sempre lembrar que a percepção da dor é uma interação complexa que envolve fator sensitivo, psicológico e ambiental e outras medidas podem ser importante para recuperação .

Há necessidade de avaliação adequada do paciente. Selecionado de forma apropriada e administrado de maneira eficiente, o bloqueio promove resultado satisfatório .

Os bloqueios podem causar efeitos colaterais sistêmicos  e locais, sendo importantes as seguintes recomendações :

•    fazer o diagnóstico correto da doença ou síndrome da causa da dor;
•    Verificar os riscos e benefícios ;
•    Conhecer a anatomia ;
•    Ter familiaridade com os equipamentos ;
•    Estudar a farmacologia dos agentes ;
•    Verificar os equipamentos necessários;

Mais informações sobre técnicas de bloqueio para o tratamento da dor ligar para a Clínica de Dor da Clínica Higashi 21-34398999 ( Rio de Janeiro) e 43-33238744 ( Londrina).

LOGO CLINICA HIGASHI.jpg






Newsletter
Cadastrar