Clínica Higashi

Londrina | PR : 43 3323-8744
Rio de Janeiro | RJ : 21 3439-8999

Notícias

30/7/2015 O que é o bloqueio da dor do paravertebral torácico ?
O bloqueio paravertebral torácico com anestésico local pode ser utilizado para alivio de dor aguda emergente inclusive a produzida por fratura por compressão vertebral torácica ,herpes zoster agudo e dor oncológica

INDICAÇÕES


O bloqueio  paravertebral torácico é útil na avaliação e tratamento de dor com comprometimento  da parede torácica, parede abdominal superior e coluna vertebral torácica . O bloqueio paravertebral torácico com anestésico local pode ser utilizado como  uma ferramenta diagnóstica  quando se realiza um bloqueio neural diferencial  com base anatômica na avaliação de dor torácica,abdominal e da coluna vertebral torácica .Se estiver sendo considerada  destruição  de nervos paravertebrais torácicos essa técnica e útil como um indicador prognóstico do  grau de compro-metimento motor e sensitivo que o paciente  possa experimentar .O bloqueio paravertebral torácico com anestésico local pode ser utilizado para alivio de dor aguda emergente inclusive a produzida por fratura por compressão vertebral torácica, herpes zoster agudo e dor oncológica enquanto  se aguarda que os métodos  farmacológicos e cirúrgicos produzam  seus efeitos. O bloqueio paravertebral  torácico  Com anestésico local e esteroide é útil também no tratamento de dor pós - torácotomia , fraturas de costelas posteriores e neurologia pós–herpéticas. A destruição  de nervos paravertebrais torácico esta indicada no alivio da dor oncológica, inclusive produzida por tumores invasivos da coluna torácica das costelas posteriores e da parede  torácica e abdominal  superior, Dada a natureza desesperada de diversos pacientes que sofrem com tumores agressivamente invasivos, o bloqueio paravertebral torácico com a utilização de uma agulha calibre 25 pode ser executado em presençade coagulopatia ou anticoaguação, ainda que com um risco aumentado de formações de esquimoses e hematomas .


ANATOMIA  CLINICAMENTE  RELEVANTE


Os nervos paravertebrais torácicos deixam seus respectivos forames intervertebral logo abaixo   do processo transverso da vértebra .Após deixar o forame invertebral ,o nervo paravertebral torácico emite um ramo recorrente que retorna através do forame para fornecer inervação aos ligamentos espinhais ,meninges e suas respectiva vértebras .O nervo paravertebral  também interfere na cadeia simpática torácica por  intermédio de fibras pré –ganglionares mielinizadas dos ramos comunicantes  brancos e também de fibras pós-ganglionares  amielínicas dos ramos comunicantes  cinzentos .Após fornecer essas intercomunicações com o sistema nervoso simpático nervo torácico e também com o ramo recorrente  ,o nervo paravertebral  torácico da origem a uma divisão primária posterior e uma divisão primaria anterior .A divisão posterior cursa posteriormente e,junto com seus ramos inervação pra as articulações  facetárias e para os  músculo e pele das costa .A divisão anterior ,maior ,cursa lateralmente para atingir o sulco subcostal abaixo da costela para tornar –se o respectivo nervo intercostal.o 12º nervo  torácico cursa abaixo da 12ª costela e é chamado nervo subcostal.Os nervos intercostais e subcostais fornecem a inervação da pele ,músculos ,costelas ,pleura parietal .Como o bloqueio paravertebral torácico é realizado no ponto em que o nervo começa a emitir  seus vários ramos ,e possível bloquear  a divisão posterior , assim como os  recorrentes componentes  e simpático de cada respectivo para nervo paravertebral  torácico .


TÉCNICAS


O Paciente é colocado em decúbito  ventral , com uma almofada sob da parte inferior .O processo espinhoso da vértebra  logo acima do nervo a ser bloqueado é palpado.Em um ponto logo abaixo e 3,75cm lateral ao processo espinhoso ,a pele é preparada com solução antiséptica .Uma agulha calibre 22 ,de 8,75cm,é adaptada a uma seringa de 12ml e avançada  perpendicularmente á  pele apontada para o meio do processo transverso .A agulha deve atingir o osso após  avançado aproximadamente 3,75 cm .Após o estabelecimento desse contato ósseo ,a agulha é recuada no tecido subcutâneo e redirecionada inferiomente  para passar por baixo da margem inferior do processo transverso .Tão logo o contato ósseo seja desfeito ,a agulha é lentamente avançada  aproximadamente  1,9cm em até  até que seja provocada uma parestesia na distribuição na distribuiçaõ do nervo paravertebral torácico a ser bloqueado .uma vez paralisia tenha sido provocada e uma aspiração cuidadosa revele ausência de sangue ou liquido cerebroespinhal ,são injetado 5ml de lidocaína a 1% sem econservantes .Se houver um componente inflamatório associado á dor o anestésico local é associado com 80mg de metilprednisolona  e injetado em doses progressivas. Bloqueios nervosos diários subsequentes são executados de forma semelhante ,substituindo –se os 80 mg da dose inicial  por 40mg de metilprednisolona. Por causa da inervação que reveste os elementos posteriores do ramo,medial da divisão posterior das vértebras adjcentes ,os nervos paravertebrais acima e baixo do nervo que suspeita ser o mediador da condição dolorosa também serão bloqueadas.


bloqueio do nervo mediano.jpg

EFEITOS COLATERAIS E COMPLICAÇÕES


A proximidade da medula espinhal e das raízes nervosas torna imperativo  que esse procedimento seja realizado a penas por aqueles com bom conhecimento da anatomia regional e com experiência na realização de técnicas intervencionais  de tratamento da dor.Dada  a proximidade  do espaço pleural ,a ocorrência  de pneumotorax   após bloqueio paravertebral  torácico é uma possibilidade distinta .O posicionamento  excessivamente medial  da agulha pode resultar em injeções epidurais ,su-bdurais  ou subaracnoideas ,ou em traumatismo  da medula  espinhal e de raízes  nervosas .Apesar  de rara ,a infecção  continua  sendo uma possibilidade  sempre presente ,especialmente no paciente imunocomprometido  com câncer .A detecção precoce de infecção é crucial para evitar sequelas com risco potencial de vida .


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES


O Bloqueio  paravertebral torácico é uma técnica simpres que pode produzir grande  alívio  em     que apresentam as queixas de dor mencionadas  anteriormente ,bloqueio neurolítico com pequenas  quantidades de fenol  em  glicerina ou por crioneurólise  ou por radiofrequêcia  têm-se  mostrado eficazes em proporcionar alívio duradouro para paciente  apresentem  dor pós-toracotomia e dor oncológica que não tenham mostrado responsivas a tratamentos  mais

Conservadores.Como já mencionado a proximidade dos nervos paravertebrais torácicos com o neuroeixo e o espaço e espaço pleural Torna  imperativa   a manuntenção de uma atenção cuidadosa á técnica .


AONDE REALIZAR O PROCEDIMENTO DO BLOQUEIO DA DOR NA REGIÃO PARAVERTEBRAL:


Clínica de Dor Higashi telefones 21-34398999 ( Rio de Janeiro) e 43-33238744 ( Londrina).

 

Newsletter
Cadastrar