Clínica Higashi

Londrina | PR : 43 3323-8744
Rio de Janeiro | RJ : 21 3439-8999

BLOG - Dr Higashi

Postado em 6/6/2014
Termogênicos funcionam?
Termogênicos e Metabolismo


Um dos grandes vilões e obstáculos do emagrecimento é a queda fisiológica do metabolismo basal que ocorre após uma perda de peso, levando muitas pessoas a viverem o terrível efeito sanfona.

Os termogênicos, campeões de vendas nas lojas de suplementos visam ajudar estas pessoas que lutam nessa batalha da manutenção da boa forma. 

Mas como eles funcionam?
Termogênicos são substâncias que atuam aumentando o gasto energético através da geração de calor. A grande maioria atua sobre os receptores beta adrenergicos (Beta 1, 2 e 3) que leva a oxidação da gordura (queima de gordura). 

O uso de termogênicos pode aumentar de 2-15% do gasto energético diário podendo variar conforme a individualidade. (Veja na imagem como agem estas substâncias).


imagem blog.png


Estudos sugerem que a combinações de algumas substâncias são mais efetivas do que o uso isolado, um exemplo a cafeína + chá verde funciona melhor do que a cafeína isolada. Por isso se o objetivo é gastar mais energia as combinações são mais efetivas.


Veja o gráfico abaixo demonstrando que existe uma maior queima quando existe a combinação do uso de cafeína e catequinas( substância termogênica do chá verde):


imagem blog 2.png

Para potencializar o efeito da queima de gordura, os termogênicos, devem ser utilizados de preferência antes da prática de exercícios, e logicamente aliado a uma alimentação balanceada. 

Devido a ação nos receptores beta, que são receptores presentes em várias órgãos de nosso organismo, outros efeitos além da queima de gordura podem ocorrer como aumento da freqüência cardíaca, insônia, aumento da pressão, tremores, sudorese, e agitação. 

Por isso, lembre-se que sempre antes de utilizar algum produto termogênico, passe por um avaliação médica de preferência na área da nutrologia e ortomolecular, pois desta maneira estará fazendo um tratamento seguro, efetiva e individualizado ao seu caso.

Existem vários alimentos que possuem algum efeito termogênico que podem ajudar no aumento do metabolismo, podemos citar: o chá verde, café, mate, gengibre e a pimenta. 

Saiba mais sobre alimentos termogêncos:
Chá verde: 

O chá é proveniente das folhas da Camellia sinensis e tem seu nome expresso em mais de 3 mil produtos. No entanto, podem ser considerados chás, mesmo, somente aqueles que têm em sua composição a planta.

Caracterizado pelo sabor um tanto quanto amargo, o chá verde é rico em flavonoides como a epigalatocatequina galato (EGCG) - substâncias antioxidantes que ajudam a neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular. Além de conter manganês, potássio, ácido fólico e as vitaminas C, K, B1 e B2, o chá ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e inflamatórias.

Pesquisadores suíços divulgaram, no último mês que, após estudo detalhado, descobriram que as propriedades químicas do chá verde também estimulam as células do cérebro e, por consequência, melhoram o aprendizado e a memória.

Mas, e o emagrecimento? Realmente o chá verde acelera o metabolismo, com vários estudos comprovando sua ação termogênica, porém de forma discreta quando utilizado de forma isolada. Estudos publicados no American Journal of Clinical Nutrition demostrou que o chá verde (125 mg) quando associado a pequena doses de cafeína (50 mg) existe um efeito sinérgico aumentando em 4 % a gasto energético diário. 

Traduzindo: tanto o chá verde como a cafeína funcionam melhor juntos do que isolados. Outro estudo publicado na mesma revista concluiu que o chá verde funciona melhor em obesos do que em pessoas magras, quando falamos em aumento da termogênese. Um conselho é optar por tomar o chá verde na forma natural, aliado a uma alimentação balanceada e a prática de exercícios. E, quando for utilizado na forma de extrato mais concentrado e/ou em combinação com outros componentes termogênicos, procurar orientação médica profissional.

O Genbibre:

Um alimento de múltiplos benefícios terapêuticos. A começar por suas propriedades anti-inflamatórias, anti-fúngicas e antibacterianas. 

O gengibre ajuda na eliminação de toxinas, é antioxidante, aumentando a imunidade, ajuda na prevenção do câncer e, de quebra, ainda embeleza a pele. 

E as notícias boas sobre este alimento não param por aí: uma pesquisa do Instituto Hormel, da Universidade de Minnesota (EUA), concluiu que o gingerol - composto que dá sabor picante ao gengibre - retarda o crescimento de tumores no intestino. 

Em outro estudo, dessa vez feito pela Universidade da Geórgia, voluntários consumiram gengibre ou placebo diariamente, por uma semana. Nesse período, praticaram exercícios de força para os braços. O grupo que ingeriu a planta apresentou 25% menos dores e inflamações associadas à atividade.

Muito utilizado na culinária, o gengibre vem ganhando ainda mais reconhecimento e fazendo sucesso nos consultórios por ser termogênico. Isso porque sua ação transforma gordura em energia. As substâncias termogênicas encontradas no gengibre, bem como em outros alimentos considerados termogênicos naturais, auxiliam na dieta, pois têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e aumentando a queima de gordura.

A termogênese é um processo regulado pelo sistema nervoso adrenérgicos e interferências neste sistema ajudam no controle de emagrecimento e obesidade.O consumo de gengibre, seja em suas mais variadas formas possíveis, como em sucos, ralado com salada, em forma de chá, entre outros, deve ser aliado a um plano alimentar saudável e atividade física.

Cabe ressaltar aqui que a ingestão muito exagerada de gengibre possui certa cautela em pacientes com arritmias, hipertensão, e hipertireoidismo. O recomendável é ingerir o gengibre sem a casca, já que a parte interna é mais macia e fácil de ser cortada ou ralada. Onde acrescentá-lo? Combine-o com outros alimentos saudáveis e que mais lhe agradam. 

Pimenta: 

A sensação de ardência que elas dão aos alimentos deve-se à presença de uma substância chamada capsaicina, encontrada, principalmente, em variedades como malagueta, jalapenho e habaneros.

Essa substância tem - entre outras propriedades medicinais, como analgésicas, digestivas, antioxidantes - função vasodilatadora e até antimicrobiana. Vários estudos já demonstraram que a capsaicina aumenta a temperatura corpórea e, consequentemente, eleva a oxidação das gorduras, por ativação do sistema nervoso simpática adrenal, ou seja, aumenta o gasto energético e o metabolismo.

A quantidade ideal? Alguns pesquisadores demonstraram efeitos no metabolismo com 10 gramas por refeição, o que para algumas culturas seria impraticável, mas gosto não se discute, não é mesmo?

Importante ressaltar que se ingeridas em grandes quantidades, podem piorar os sintomas de quem têm refluxo, hemorroidas e gastrite.

Pensando nisso foi criado a capsaicina-like, como capsiate, que são substâncias análogas com efeitos termogênicos e moduladores do apetite, que podem ser usadas em doses menores, como 10 mg/dia, sem apresentar os sintomas indesejáveis da pimenta.

Faço o alerta: para se valer dos benefícios da pimenta, é essencial associar seu consumo com uma alimentação equilibrada e atividade física.

Mate:

Poucas pessoas sabem, mas a Ilex paraguariensis, erva comumente usada para fazer o tradicional chimarrão e o tereré e em diversos tipos de chá na América do Sul, pode trazer diversos benefícios à saúde. Para quem não sabe, esse é o nome científico do mate, que apesar de amargo, pode se transformar em uma bebida deliciosa.

A erva, cultivada no sudeste do Brasil, Argentina e Paraguai, ganha, a cada dia, popularidade nos Estados Unidos e na Europa. Ela contém substâncias antioxidantes como os ácidos fenólicos e flavonóides. E o mais bacana: tem propriedades estimulantes do sistema nervoso central devido aos alcalóoides, como a cafeína.

Pesquisa realizada pela Universidade Federal de Santa Catarina constatou que consumir 1 litro da bebida, ao dia, diminui em 13% as taxas de colesterol ruim, o LDL, e aumenta a de colesterol bom, o HDL. Conforme os estudos, isso acontece porque o chá-mate possui algumas substâncias - alcaloides e glicídios - capazes de interagir com os ácidos biliares e reduzir a absorção de colesterol. 

Outra pesquisa da USP mostrou uma possível ação na prevenção da arteriosclerose.Também o Instituto Pasteur e a Sociedade Científica de Paris concluíram que a erva contém praticamente todas as vitaminas essenciais.

Legal, não? Mas antes de pegar a chaleira e esquentar a água, é importante saber que nem todo saquinho de chá vai ajudar no processo de emagrecimento. Para obter os benefícios, com a ingestão da erva, à sua saúde, é imprescindível optar pelo chá-mate de folhas, uma vez que os saquinhos geralmente trazem diferentes partes da planta, o que disfarça o efeito da erva.

Mas e aí, quanto ingerir de chá-mate, em um dia? Minha sugestão é fracionar o consumo e beber um litro da infusão por dia. Além de auxiliar na perda de gordura, acelerando seu metabolismo, o mate vai promover a saciedade e, portanto, ajudar a evitar o temido ataque à geladeira. 

Algumas considerações do uso do chá-mate
- Por conter cafeína, o mate deve ser consumido com moderação;
- A cafeína é um estimulante natural e pode induzir ao nervosismo e à insônia;
- Grávidas devem evitar o consumo excessivo, a exemplo de quem está amamentando;
- Lembre-se que, quente ou gelado, o chá-mate deve ser consumido até 24 horas após seu preparo. Depois disso, perde suas propriedades.
- Ah, e logicamente nada de adoçá-lo com açúcar, ou similares.


Referências:

1) A. G. Dulloo,The search for compounds that stimulate

thermogenesis in obesity management: from

pharmaceuticals to functional food ingredients, obesity reviews (2011) 12, 866–883

2) Dulloo AG, Seydoux J, Girardier L, Chantre P, Vandermander

J. Green tea and thermogenesis: interaction between catechinpolyphenols,

caffeine and sympathetic activity. Int J Obes 2000;

24: 252–258.

3) Ludy MJ, Mattes RD. The effects of hedonically acceptable

red pepper doses on thermogenesis and appetite. Physiol Behav

2011; 102: 251–258.

4) Ohnuki K, Niwa S, Maeda S, Inoue N, Yazawa S, Fushiki T.

CH-19 sweet, a non-pungent cultivar of red pepper, increased body

temperature and oxygen consumption in humans. Biosci Biotechnol

Biochem 2001; 65: 2033–2036.

5) Josse AR, Sherriffs SS, Holwerda AM, Andrews R, Staples

AW, Phillips SM. Effects of capsinoid ingestion on energy expenditure

and lipid oxidation at rest and during exercise. Nutr Metab

(Lond) 2010; 7: 65.


Para mais informações sobre tratamento ortomolecular e nutrologia ligar para 43-33238744 ( Clínica Higashi Londrina) ou 21-343989999 ( Clínica Higashi Rio de Janeiro).


Autor: Dr. Leonardo Higashi, médico nutrólogo, endocrinologista e ortomolecular da Clínica Higashi.


Dr.-Leonardo-Higashi-médico-endocrinologista.-emedicina-anti-aging-jpg.jpg



Ver comentários ( )

Ocultar comentários
Sobre Dr. Higashi
O Blog Dr. Higashi é formado pelos três diretores médicos da Clínica Higashi composto por Dr. Tsutomu Higashi, médico com master na ciência do anti-aging, Bacharel em Medicina Ortomolecular e patologista clínico, Dr. Rafael Higashi, mestre em medicina com especialidade em neurologia e nutrologia e Dr. Leonardo Higashi médico especialista em clínica médica, endocrinologia e nutrologia. O objetivo do Blog é trazer informação sobre medicina e qualidade de vida, através de uma visão global do organismo.
clinica Higashi.jpg
Categorias
  • >> Posts 2017
  • >> Posts 2014
  • >> Posts 2013
  • >> Posts 2012
  • >> Posts 2011
  • >> Posts 2010
  • >> Posts 2009


Compartilhar:
Newsletter
Cadastrar