Postado em 16/6/2010, por Dr. Rafael Higashi
medicina ortomolecular e reposição de hormônios bioidênticos femininos
medicina ortomolecular: efeitos da deficiência de Estrogênio e Progesterona na mulher

Um dos primeiros sinais relacionados à deficiência de hormônios sexuais femininos na mulher é o aumento da irregularidade dos ciclos menstruais, ou seja, a alternância de ciclos mestruais  de  intensa menstruação com  ciclos menstruais com quase nenhum fluxo menstrual.

Outros sintomas relacionados a deficiência de hormônios sexuais femininos esta no campo comportamental com alterações do humor, a mulher se sente em alguns momentos depressiva e em outros ansiosa, sem motivo aparente, uma mulher antes relativamente estável pode se tornar instável. Queixas como cansaço e aumento de rugas de expressão ao redor dos lábios também são comuns, além do conhecido calorão. Em resumo a mulher sente como algo estivesse errado.

No organismo da mulher existe um delicado equilíbrio entre a progesterona e o estrogênio. Por exemplo o estrogênio retêm líquido, principalmente no abdomen e  mamas, já a progesterona têm efeito diurético. O estrogênio em particular o estradiol, têm efeito antidepressivo por ativar o sistema simpático, já a progesterona têm efeito calmante por ativar o sistema parasimpático. Vale a pena lembrar que o efeito calmente e diurético da progesterona ocorre somente com o uso dos hormônios bioidênticos, pois as progestinas sintéticas não bioidênticas não têm efeito bioidêntico dos hormônios produzidos pelo nosso organismo .

Existem situações aonde pode-se reduzir os níveis de hormônios sexuais na mulher como exemplo atividade física intensa (ex: maratonistas) e stress emocional intenso. O fator mais importante na diminuição dos hormônios sexuais na mulher é o envelhecimento.

Efeitos a longo prazo da deficiência de hormonios sexuais femininos é refletido principalmente no aumento da chance de fraturas ósseas por osteoporose (perda de 1.5 a 3.0% de massa óssea ao ano), e também aumento da chance de doenças como Alzheimer, infarto e derrame.

A deficiência de hormônio sexual  feminino deve ser tratado assim quando os sintomas e sinais relacionados à deficiência de estrogênio e progesterona começam a ser tornar crônico e persistentes, e quando não existe contra-indicações para seu uso. Exames de sangue hormonais ajudam como guia na dosagem adequada da reposição hormonal bioidêntica.

A medicina antienvelhecimento (anti-aging medicine) é uma nova área da medicina a qual trata o envelhecimento feminino e masculino de uma maneira global, pró-ativa e preventiva.

 

Dr. Rafael Higashi - neurologista , nutrólogo e médico com certificação em terapia hormonal pelo Cenegenics Medical Institute, EUA, faz parte da equipe médica do programa de ortomolecular do Centro Médico Athenas de Londrina e Rio de Janeiro. www.centromedicoathenas.com.br

 

 

 

 

 
 
Postado em 21/5/2010, por Dra Andrea Nunes
Estudo das células-tronco e a terapia hormonal para reabilitação neurológica
Estudo das células-tronco e a terapia hormonal para reabilitação Neurológica
Apesar do nosso otimismo, a terapia com células-tronco se reserva para algumas pesquisas clínicas de instituições de pesquisa (públicas ou privadas). As pesquisas mais avançadas são relacionadas á utilização de células-tronco do tipo embrionárias (células - tronco encontradas no tecido fetal), pois estas têm grande capacidade de diferenciação (capacidade de formar outras células).
O primeiro teste clínico para utilização de células tronco do tipo embrionárias foi aprovado em 2009 nos Estados Unidos para tratamento neurológico de lesão medular e paraplegia, após o presidente Obama sancionar uma lei que autoriza a utilização de células tronco embrionárias para fins terapêuticos. No Brasil apesar da lei de Biosegurança autorizar a pesquisa de células-tronco embrionárias, ainda  não possuimos tecnologia suficiênte para desenvolver células tronco apartir do embrião.
A utilização de células-tronco adultas (não embrionária) já é utilizada para uso clínico de Leucemias e Linfomas no Brasil, e também para um número limitado de pesquisas principalmente na área de regeneração cardíaca.
Apesar da possibilidade da utilização de células-tronco para tratamento antienvelhecimento e regenerativo neurológico ainda não estar amplamente disponível para uso clínico, a otimização hormonal com hormônios bioidênticos podem estimular nossas células- tronco endógenas. Por exemplo, a reposição com progesterona estimula as células-tronco neurais através do metabolito alopregnenolona. A testosterona estimula as células-tronco de tecidos musculares, em consequencia, ocorre aumento da força, também estimula as células progenitoras endotelial melhorando a perfusão peniana com melhora a função erétil. O tratamento com hormônio de crescimento (gh) em adultos com deficiência, melhora a qualidade e a quantidade de células progenitoras endotelial estimulando a formação de novos vasos. O estradiol melhora a mobilização das células progenitoras endotelial em consequencia estimula melhora da perfusão tecidual.
Uma nova fase da medicina dentro da neurologia e do antienvelhecimento esta a caminho. A sociedade esta em constante evolução, cada vez mais bem informada, consciente, globalizada e busca uma medicina que supra as suas necessidades, para isso devemos estudar novos conceitos e se adaptar, esta é a lei da evolução.
Dr. Rafael Higashi médico neurologista com certificação em terapia hornonal pelo Cenegenics Medical Institute, EUA. Faz parte da equipe médica do programa de medicina e envelhecimento do Centro Médico Athenas de Londrina e Rio de Janeiro. www.centromedicoathenas.com.br.
 
 
Postado em 27/4/2010, por Dr. Rafael Higashi
CLÍNICA DE DOR E TÉCNICAS ESPECIAIS DE INJEÇÃO
Bloqueio epidural para controle da dor e inflamação da hérnia de disco
Hérnia de disco é uma condição na qual uma parte ou toda a porção central, gelatinosa de um disco intervertebral chamado de núcleo pulposo ( cartilagem fibrosa entre os corpos do ossos vertebrais) é deslizado através de uma parte frágil do disco intervertebral, pressionando a raiz do nervo o que leva a inflamação e dor local e irradiada fibrosa presente entre os corpos das vértebras (figura 1).
 
A dor da hérnia de disco pode se localizar na região cervical com irradiação para o membro superior (hérnia de disco cervical) ou lombar ( hérnia de disco lombar ) com irradiação para o membro inferior.
 
 
 
Figura 1: Esta imagem demonstra (ao seu lado direito) uma hérnia lombar comprimindo o raiz e inflamando a raiz do nervo lombar, isto leva a um quadro de dor local e irradiada.
 
 
A primeira conduta a se fazer quando uma pessoa sofre de um quadro de dor irradiada é procurar ajuda do médico para que ele possa diagnosticar o problema. Caso o quadro de hérnia de disco é confirmado, o médico com experiência em exame neurológico e clínica de dor vai decidir se o caso é de tratamento cirúrgico ou clínica.
A cirurgia é somente indicada quando através do exame neurológico é evidenciada alterações motoras e sensitivas permanentes, isto ocorre, em somente 10% dos casos. Para a grande maioria dos casos de hérnia de disco, aproximadamente 90% dos casos, o tratamento não é cirúrgico, com repouso e medicação para controle da dor. Caso estas medidas não controle as limitações relacionadas a dor o bloqueio epidural com medicação esta indicado.
O bloqueio epidural é uma técnica especial de injeção realizado por médicos com experiência em clínica de dor, através de uma agulha especial consegue-se introduzir medicação antiinflamatória diretamente próximo a raiz no nervo inflamado para alívio imediato e a longo prazo da dor (figura 2).
 
Figura 2: Técnica de bloqueio epidural (ou peridural) para controle da dor e inflamação:
 
 
Em países de primeiro mundo como Estados Unidos o conceito de clínica de dor (Pain Managment Center) e técnicas especiais de injeção já é bem conhecido pela população e pelos médicos. 
 
No Brasil, infelizmente a maioria dos procedimentos não cirúrgicos realizados em clínicas de dor como o bloqueio epidural e outras técnicas especiais de injeção não são de conhecimento da população e da maioria dos médicos, sendo assim, a grande maioria dos casos de dor, como da hérnia de disco, a qual se poderia ter controle com técnicas menos invasivas não o são por falta de conhecimento e divulgação. A maioria destes pacientes evoluem para dor crônica ou acabam a ser submetidos a cirurgia devido a falta de opção de outros tratamentos.
 
A Clínica de Dor do Centro Médico Athenas do Rio de Janeiro e Londrina é pioneira na utilização de técnicas especiais de injeção no tratamento da dor da hérnia de disco e outros transtornos dolorosos agudos e crônicos.
 
mais informações:
Telefone (21) 34398999 ( Rio de Janeiro ) ou (43) 33238744 ( Londrina ), www.centromedicoathenas.com.br .
 
Dr. Rafael Higashi - médico neurologista com mestrado em neurologia e certificação em clínica de dor pelo New York University Pain Management Center (EUA) e membro da equipe da Clínica de Dor do Centro Médico Athenas Rio de Janeiro e Londrina.
 
 
 
Postado em 19/3/2010, por Andrea Nunes
Tratamento Avançado cerebral é notícia ontem no jornal da record
Tratamento Avançado disponível no Centro Médico Athenas Rio de Janeiro é notícia no jornal da record

Para mais informações sobre o Programa de Neurologia Avançada e Estimulação Magnética Transcraniana do Centro Médico Athenas ligar para (21) 34398999 (Rio de Janeiro) ou (43) 33238744 (Londrina).

Dra Andrea Nunes - membro da da equipe clínica e Coordenadora Educacional do Centro Médico Athenas, email: athenascentromedico@gmail.com , site www.centromedicoathenas.com.br

 
 
Postado em 9/3/2010, por Dr. Leonardo Higashi
medicina antienvelhecimento e ortomolecular: o antioxidante acido alfa lipoico
Acido Alfa Lipoico um potente antioxidante otimizador da produção de energia celular
O Ácido Alfa-Lipóico (Alpha Lipoic Acid - ALA) é uma molécula completamente natural que existe dentro de cada célula de nosso corpo.
 
Foi descoberto em 1951 por pesquisadores que constataram que ele era um componente essencial otimizador do processo metabólico das estruturas produtoras de energia encontradas dentro de cada célula, reverte os danos causados pelo declínio do consumo de oxigênio e produção de energia mitocondrial em virtude da ação dos radicais livres e do próprio envelhecimento.
 
O ácido alfa-lipóco está presente em pequena quantidade no espinafre. Mas você precisaria consumir 80 kg de espinafre para fornecer 100 mg de ácido alfa-lipóico.
 
 
Estrutura molecular do ácido alfa lipoico:
 
O ALA é também um componente chave no processo metabólico e pode ajudar a diminuir o armazenamento de gordura no corpo direcionando as calorias para produção de energia. Ele potencializa a ação da insulina que aumenta a absorção de glucose, aminoácidos e nutrientes nas células musculares.
O aumento de energia permite à célula ingerir mais nutrientes, remover resíduos e substituir componentes danificados. Controla a inflamação, melhora a pele e diminui as rugas, regenera os nervos (neuropatia diabética), melhora da função cognitiva (memória) e diminui o nível de toxina no corpo.
Multiplas funções do acido alfa lipoico que pode ser aplicado via endovenosa:

Para mais informações ligue para o programa de medicina antienvelhecimento e ortomolecular do Centro Médico Athenas telefone: (21) 34398999 no Rio de Janeiro ou (43) 34398999 em Londrina.
 
Bibliografia:
 
  1. Lipoic acid: a novel therapeutic approach for multiple sclerosis and other chronic inflammatory diseases of the CNS . Endocr Metab Immune Disord Drug Targets. 2008 Jun;8(2):132-42
  2. Lipoic acid as an anti-inflammatory and neuroprotective treatment for Alzheimer's disease. Adv Drug Deliv Rev. 2008 Oct-Nov;60(13-14):1463-70. Epub 2008 Jul 4.
  3. Lipoic acid as a potential therapy for chronic diseases associated with oxidative stress. Curr Med Chem. 2004 May;11(9):1135-46
  4. Treatment for diabetic mononeuropathy with alpha-lipoic acid. Int J Clin Pract. 2005 Jun;59(6):645-50.
 
 
Postado em 17/2/2010, por Dr. Tsutomu Higashi- medicina antienvelhecimento
Disfunção Erétil aumenta o risco de doença cardíaca
Disfunção Erétil aumenta o risco de doença cardíaca
Disfunção erétil é mais do que um problema sexual, pode ser um prenúncio de um problema muito mais sério como infarto cardiaco e cerebral.
Novos estudos publicados no jornal do Colégio Americano de Cardiologia em janeiro deste ano (2010), confirmaram a associação entre disfunção erétil e doença cardiovascular. De acordo com o autor do estudo Dr. Andre Araujo, a disfunção erétil aumento o risco em 40% de desenvolver de doença cardiaca, independetemente de outros fatores de risco já bem conhecidos como o aumento da idade, hipertensão, diabetes e tabagismo.
Outros estudos já haviam apontado a disfunção erétil como um sinal precoce de problemas cardiacos no futuro, ou seja, anos antes de um infarto o homem apresenta sinais de disfunção erétil. Em um estudo conduzido nos Estados Unidos em Minnesota pela Clínica Mayo com 1402 homens, este risco foi 80% maior em comparação com pessoas sem disfunção erétil. A evidência surpreendente deste estudo foi demonstrar que homens com disfunção erétil aos 40 anos têm um risco ainda maior de doença coronáriana. Este risco foi 50 vezes maior em comparação com homens sem disfunção erétil da mesma idade.
A Disfunção erétil não é um problema raro como se pensa, ao contrário, aproximadamente 5 a 10% dos homens ao redor dos 40 anos, e 40 a 60% dos homens ao redor dos 70 anos sofrem de algum grau de disfunção erétil.
O gráfico demonstra a queda progressiva da testosterona livre com a idade:
 
Esta cada vez mais claro que o denominador comum relacionado a disfunção erétil esta ligado aos baixos níveis de testosterona no homem, pois outros fatores também ligado á disfunção erétil como obesidade, diabetes, tabagismo, pressão e colesterol elevados também estão associados a diminuição da testosterona livre no homem.
É importante saber que para a dosagem correta da testosterona no homem é preciso fazer um cálculo para saber qual a quantidade desta testosterona total esta disponível para ser utilizado no organismo, muitas vezes um homem pode ter a testosterona total elevada mais quando se faz o cálculo se observa que somente uma pequena parte desta testosterona pode ser utilizada pelo organismo, esta testosterona que realmente é utilizada pelo organismo se chama testosterona biodisponível.
O desenho demonstra, no círculo em verde, a testosterona biodisponível, no círculo em amarelo, representa a testosterona total (parte desta testosterona não é utilizada pelo organismo por estar ligada fortemente a proteína SHBG):
Mais informações: Centro Médico Athenas Londrina (tel:43-33238744) e  Rio de Janeiro (tel:21-34398999).
 
 
Postado em 27/1/2010, por Andrea de Souza Nunes
Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva avanço no tratamento neurológico
Estimulação Magnética Transcraniana tecnologia disponível no Centro Médico Athenas Rio de Janeiro

Estimulação Magnética Transcraniana  é uma nova modalidade de tratamento médico capaz de estimular o cérebro através de um método indolor, não-invasivo e simples de ser aplicado. É realizada através de um aparelho estimulador do qual sai um cabo que termina em uma bobina. Através da bobina passa uma corrente elétrica de alta intensidade que cria um campo magnético (como um eletro-ímã) focalizado. A bobina é colocada próximo à região que se quer estimular. O campo magnético próximo ao tecido do cérebro, induz alterações inibitórias ou excitatórias.

O tratamento com estimulação magnética transcraniana por ser uma modalidade de tratamento totalmente inovador, eficaz e seguro (quando realizado por médicos neurologistas e ou psiquiatras com treinamento adequado) tem sido notícia em todo mundo por ser um avanço no controle das doenças neurológicas e psiquiatricas como depressão, transtorno obcessivo compulsivo, ansiedade, doença de Parkinson, reabilitação do AVC, memória, Esclerose Múlipla, dor crônica, fibromialgia, entre outras.
 
Assista abaixo algumas reportagens realizadas nos principais centros de neurologia e psiquiatria  como o New York Presbyterian Hospital  da Universidade de Cornell e Columbia e o Hospital da Universidade de Emory nos Estados Unidos e o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP no  Brasil sobre a Estimulação Magnética Transcraniana Repetiva:
 





O programa de neurologia avançada do Centro Médico Athenas é  pioneiro nesta modalidade de tratamento no Rio de Janeiro, a qual é coordenado por  Dr Rafael Higashi.

Dr. Rafael Higashi é neurologista (residência médica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado em neurologia pela Universidade Federal Fluminese e membro titular da Academia Brasileira de Neurologia), em 2007 após completar treinamento em estimulação magnética transcranianana no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP , criou e dirigiu o setor de estimulação magnética transcraniana do departamento de neurologia do Hospital Naval Marcílio Dias – RJ, hospital da marinha referência em neurologia no Brasil. Em 2009 foi convidado pela New York University Pain Management Center, centro de referência em neurologia e dor em Manhattan, Nova York, para proferir aulas sobre o tema.

Para mais informações ligar para a Clínica de Neurologia do Centro Médico Athenas telefone: 21-34398999 (Rio de Janeiro) ou 43-33238744 (Londrina).

 
 
Postado em 18/1/2010, por Andrea de Souza Nunes
Medicina Antienvelhecimento
Deficiência do hormônio GH no envelhecimento
A deficiência de hormônio do crescimento (DGH) na vida adulta (DGHA) é entidade clínica bem estabelecida e o impacto do tratamento com hormônio do crescimento recombinante humano (hrGH) sobre a qualidade de vida do paciente é importante por tornar o indivíduo mais apto social e economicamente.
Dados epidemiológicos indicam redução na expectativa de vida em pacientes com DGHA a qual apresenta sintomas e sinais clínicos como fadiga, aumento da massa gorda, diminuição da massa muscular, diminuição da densidade mineral óssea e qualidade de vida, alteração no metabolismo dos lipídios e intolerância à glicose. Esta síndrome também tem sido associada com a diminuição do desempenho cardíaco e redução da expectativa de vida.
O envelhecimento dito como “normal” está associado com mudanças físicas idênticas às observadas em indivíduos com DGH, pois progressivamanete ocorre queda fisiológica na secreção de hormônio do crescimento (GH), que se inicia ao redor dos 30 anos, este processo é conhecido como “somatopausa”, em média aos 60 anos temos menos da metade da quantidade de GH quando comparado aos 25 anos.
O que as pesquisas têm demonstrado é que DGH antes dita como doença relativamente rara no adulto, é muito mais freqüente do que se imaginava, pois vários sinais e sintomas do envelhecimento, podem ser parcialmente ou totalmente revertidos com a reposição do GH.  Dr. Imre Zs Nagy fundador e editor chefe da prestigiada revista científica Archives of Gerontology and Geriatrics, declarou em entrevista após receber premiação da American Academy fo Anti Aging Medicine: “A Sociedade deve aceitar a possibilidade de que os seres humanos podem controlar o seu tempo de vida... é importante ter uma organização que informe ao público a verdade”.

Assista, abaixo, entrevista do Dr.Dr. Imre Zs Nagy:


A medicina evoluiu a tal modo que hoje é inaceitável dizer que não se pode tratar o envelhecimento. Quando um  não se preocupa em tratar preventivamente do envelhecimento, posteriormente necessitará tratar da doença instalada.

Dr. Tsutomu Higashi, médico coordenador do programa de medicina antienvelhecimento do Centro Médico Athenas e integrante da primeira turma de médicos graduados no Brasil em master da ciência do anti-aging.
 
 
 
1 | 2 | 3 | 4
 
 
     
 
 Sobre a Clínica Higashi
Localizado na região de hospitais e clínicas de Londrina e Rio de Janeiro, a Clínica Higashi é um centro médico privado de excelência na área de saúde, como antienvelhecimento, ortomolecular, obesidade, clínica da dor e neurologia.

Situado en la region de hospitales y clinicas de Londrina y Rio de Janeiro, la Clínica Higashi és un centro médico privado de excelencia en la salud, como antienvejecimiento, ortomolecular, la obesidad, la clínica del dolor y neurología.
 
 
 Tópicos Recentes
 
 Links Interessantes
 
 Faça Parte! Visite!
Comunidade no Centro Médico Athenas no Facebook
 
 
 
© 2009 Centro Médico Athenas - Todos os Direitos Reservados
Blog Centro Médico Athenas